Comprar Agora

Direção assistida | O que é | Dicas

Precisas comer um boi para virares o volante? Se não precisas, agradece a quem se lembrou de inventar a direção assistida!

coluna de direção assistida

Como surgiu

O primeiro sistema de direção assistida data do ano de 1876. O apelido Fitts pertence, provavelmente, ao primeiro homem que instalou um sistema deste tipo num veículo. Em 1900, Robert E. Twyford incluiu um sistema de direção assistida mecanicamente na patente 646.477 dos Estados Unidos da América. Mais tarde, já em 1926, Francis W. Davis pôs em prática o primeiro sistema de direção assistida hidráulica. Contudo, consideraram-no demasiado caro para ser comercializado.

A guerra e a necessidade de mover grandes e pesados camiões estimulou a tecnologia. Mas foi só em 1951, que a Chrysler introduziu o primeiro sistema de assistência hidráulica à direção no Chrysler Imperial, sistema denominado “Hydraguide”.

Mecanismos de direção assistida

Os principais mecanismos de direção assistida são o hidráulico, o electro-hidráulico e o elétrico. São os mais generalizados e os que melhor conseguem reduzir o esforço do condutor na altura de manobrar a direção. O princípio de funcionamento é o mesmo: conseguir que um mecanismo externo ao sistema de direção faça parte do trabalho desempenhado ao volante.

Hidráulica

O sistema hidráulico funciona através de uma bomba que é movida por uma correia e que, por sua vez, está ligada ao motor.

Eletro-hidráulico

No caso electro-hidráulico, a bomba movida pela correia é um motor elétrico. Assim, uma vantagem é que este motor nem sempre está em funcionamento. Outra vantagem a considerar é a fiabilidade que advém da junção dos dois sistemas. No entanto, nos momentos em que não se realizam manobras, a direção assistida fique suspensa. Desta forma, o desgaste do mecanismos vai-se evitando. Podem ser vistos em veículos da Volkswagen, Audi, Peugeot, Citroën, SEAT, Skoda, Suzuki, MINI e alguns em Mazda.

Elétrica

No que diz respeito aos carros pequenos, a direção assistida atual é a elétrica. Além de prevenir a ocorrência de danos corporais caso se perca o contacto, é uma direção mais sensível e eficiente. Ou seja, acaba por reduzir o número de elementos mecânicos. Está presente em diversos VW e Audis e na maioria dos FIAT e Lancias.

No caso dos carros do grupo FIAT, a direção elétrica tem o nome de Dual Drive. Apresenta ao condutor a hipótese de escolher dois tipos de condução: a Normal e a City. Tem diferentes curvas de resposta da direção e, de acordo com o construtor, uma redução real do consumo.

Servotronic

Para concluir, a servotronic consiste numa direção assistida consoante a velocidade do automóvel. Ou seja, força maior a baixas velocidades, enquanto um sistema eletrónico sensível reduz gradualmente o nível da força a velocidades superiores. Assim, este sistema aparece em carros da Audi, BMW e da Porsche.

direção assistida

Apesar de existirem diversos modos de assistência à direção, o objetivo de todos é o mesmo: proporcionar conforto e segurança.

Em primeiro lugar, conforto, porque nas velocidades mais baixas é necessário realizar mais manobras, o que exige maior esforço ao volante. É, por isso, que se explica a grande utilidade da direção assistida.

E depois, em segundo, segurança, porque a altas velocidades a brecagem* é menor. Assim, a direção fica mais pesada, tornando as manobras mais seguras. Isto acontece, por um lado, porque a força necessária é menor e, por outro lado, porque a sensação de controlo do carro a essas velocidades é maior.

*brecagem – amplitude máxima que a direção de um veículo consegue descrever.

_______________________________

Gostas de mecânica, mas não sabes os nomes das ferramentas? Não sabes por onde começar? Clica aqui e conhece o nosso EBOOK com 12 ferramentas básicas da mecânica!

Leave Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *